Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 26 de março de 2012

Responda se conseguir

1) São sorteados na mega-sena seis números escolhidos entre os números de 1 a 60. Quantos são os resultados possíveis para o sorteio da mega-sena?

2) Quantas "palavras" (elas não precisam ter significado) podem ser escritas usando exatamente 5 letras A
e não mais que três letras B( e nenhuma outra letra)?

3)Em um teste de múltipla escolha, cada questão tem três respostas possíveis; uma correta e duas erradas. Se existem oito questões, de quantos modos "distintos" podemos responder o teste, sendo que todas as questões devem ser respondidas?

Responda mos comentários..

Menino de 10 anos morre em Betim após levar vassourada do irmão

Uma brincadeira entre irmãos terminou em uma morte, neste domingo (25), no bairro Teresópolis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), dois irmãos de 10 e 15 anos jogavam futebol quando o mais novo sofreu um gol e foi advertido pelo mais velho que estaria “avacalhando o jogo”.
Durante o futebol, quando o garoto de 10 anos agachou-se para pegar a bola, o irmão de 15, à distância, jogou uma vassoura, atingindo as costas do mais novo. O menino assustou-se, caiu e bateu com a cabeça no chão.
Segundos depois, de acordo com o boletim de ocorrência da PM, o menino levantou-se, se sentiu mal e caiu novamente. Neste momento, o adolescente de 15 anos pegou o irmão no colo e pediu socorro.
A vítima foi levada pelo padrasto ao Hospital de Teresópolis, onde foi constatada uma lesão na medula. A criança morreu logo depois. O irmão que arremessou a vassoura entrou em desespero e teve uma crise de choro. Ele também foi socorrido na mesma unidade médica.

http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2012/03/menino-de-10-anos-morre-em-betim-apos-levar-vassourada-do-irmao.html

Assonância e aliteração

A repetição da mesma vogal nos versos de um poema é chamada de assonância. São as vogais que fazem a melodia do poema. Essa repetição pode ajudar a dar sentido no poema, a sugerir imagens e a provocar sensações no leitor. A repetição das consoantes com o mesmo som é um recurso poético chamado de aliteração. Se a assonância ajuda a construir a melodia do poema, a aliteração reforça o seu ritmo. O uso da aliteração reforça o sentido do poema. Douglas Ohf mais »

Soneto

A palavra ''soneto''vem do italiano sonetto, que quer dizer ''pequena canção'', ou literálmente ''pequeno som''. Essa forma poética surgiu na Itália, no começo do século XIII.

Quadra

Outra forma fixa muito difundida no Brasil e em Portugal é a trova, também chamada de quadra ou quadrinha. Com uma única estrofe composta de quatro versos, que costuman ter sete sílabas cada um, esta é uma composição poética bastante popular.

Os haicais

Os haicais são uma forma de poema japonês surgida no século XVI. composto , tradicionalmente, por uma única estrofe de três versos , com dezesete sílabas (cinco sílabas no primeiro verso, sete no segundo e cinco no terceiro), um haicai costuma ser escrito numa linguagem simples.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Procura da Poesia

[...]
Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados,mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
Ei-los sós e mudos,em estado de dicionário.
Convive com teus poemas,antes de escreve-los.
Tem paciência se obscuros.Calma, se te provocam.
Espera que cada um se realize  consume
com seu poder de palavra
e seu poder de silêncio.
Não forces o poema e dsprender-se do limbo
Não colhas no chão o poema que se perdeu.
Não adules o poema.Aceita-o
como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada
no espaço.

Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma
tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta,sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível,que lhe deres:
Trouxeste a chave?

Repara:
ermas de melodia e conceito
elas se refugiaram na noite,as palavras.
Ainda úmidas e impregnadas de sono,
rolam num rio difícil e se transformam em desprezo. 

   Carlos Drummond de Andrade

Traduzir-se

Uma parte de mim é todo mundo
outra parte é ninguém: Fundo sem fundo.

Uma parte de mim é multidão:
Outra parte é estranheza e solidão.

Uma parte de mim pesa, pondera:
outra parte delira.

Uma parte de mim almoça e janta:
utra parte se espanta.

Uma parte de mim é permanente:
outra parte se sabe de repente.

Uma parte de mim é só vertigem?
outra parte, linguagem.

Traduzir uma parte na outra parte
- que é uma questão de vida ou morte -
será arte?

FERREIRA GULLAR.In Melhores poemas de Ferreira Gullar
(org. Alfredo Bosi). São Paulo: Global, 1983

Poema

A póesia está guertdada nas palavras - é tudo que eu sei.
Mau fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
poderos para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobra as
insignificâncias
(do mundo e as nossa).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado e chorei.
Sou fraco para elogios.
Manoel de Barros. In: Tratado geral das grandezas do ìnfimo.
São Paulo Record,2001.

Figuras de linguagem

Figuras de linguagens consistem em atribuir a seres inanimados ou não humanos características próprias de seres humanos.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Figuras de linguagem

Num texto literário os autores utilizam simbolôgias,conotações,imagens e novas maneiras de empregas as palavras nas frases,pois,muitas vezes os termos corriqueiros não conseguem expresar com exatidão seus sentimentos.Para traduzir mais facilmente o que querem transmitir,usam Figuras de Linguagem,recursos expressivos utilizados para dar ao texto novas significações,para torna-lo mais adequado as relações subjetivas que pretendem estabelecer com o mundo.

Nunca diga

Nunca diga.
oque eu digo.
Se eu digo
"esta flor é vermelha",
diga :
"esta flor é amarela".

Se eu digo:
"não arranque esta flor",
diga :
"vou arrancar esta flor",

Se eu digo :
"cuidado com os espinhos"
diga:
"não ligo para os espinhos"

não diga
o que eu digo,
por isso
não poderá dizer:
"esta flor é amarela"
"vou arrancar esta flor"
"não ligo para os espinhos"

pois quem disse
fui eu
e não você

Então,agora,
o que tem
a me dizer?

                                                                                                Heitor Ferraz

É poema ou não é??

Girino é o peixe do sapo;
O silêncio é o começo do papo;
O bigode é a antena do gato;
O cavalo é pasto do carrapato;
O cabrito é o cordeiro da cabra;
O pescoço é a barriga da cobra;
O leitão é um porquinho mais novo;
A galinha é um pouquinho do ovo;
O desejo é o começo do corpo;
Engordar é a tarefa do porco;
A cegonha é a girafa do ganso;
O cachorro é um lobo mais manso;
O escuro é a metade da zebra;
As raízes são as veias da seiva;
O camelo é um cavalo sem sede;
Tartaruga por dentro é parede;
O potrinho é o bezerro da égua;
A batalha é o começo da trégua;
Papagaio é um dragão em miniatura;
Bactérias num meio é cultura.
Arnaldo Antunes

Relógio...

As coisas são
As coisas vêm
As coisas vão
As coisas
Vão e vêm
Não em vão
As horas
Vão e vêm
Não em vão

Violões que choram...

Vozes veladas,veludosas vozes,
volúpias dos vilões,vozes veladas,
vagam nos velhos vórtices velozes
dos ventos,vivas,vãs,vulcanizadas.

Cruzz e Souza.In Poesia completa.
Zahidé Muzart(oRG). Florianópolis.

Noturno

Na cidade ,a lua:
a joia branca que boia
na lama da rua.
 
Guilherme e de Almeida

Ana e o pernilongo

Havia um pernilongo
chamado Lino
que tocava violino.
Mas era tão pequenino
o Lino
e tocava tão fino
o seu violino,
que nunca ouvi o Lino
nem vi o Lino.

José Paulo Paes.
in: Olha o bicho. São Paulo: Ática, 1989

Tradição popular

Sexta-feira faz um ano
Que meu coração fechou
Quem morava dentro dele
Tirou a chave e levou. 
 
 Tradição popular.

Quadras ao gosto popular. -> Fernando Pessoa.

Tome lá, minha menina,
O ramalhete que fiz.
Cada flor é pequenina,
Mas tudo junto é feliz 

Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986

Soneto da separação.

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a ultima chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinicios de Moraes. In: Livro de sonetos. São Paulo: Companhia das letras, 2009

segunda-feira, 5 de março de 2012

Um senhor vivia sozinho em Minnesota. Ele queria virar a terra de seu jardim para plantar flores, mas era um trabalho pesado. Seu único filho, que ajudava nesta tarefa, estava na prisão. O homem escreveu a seguinte carta ao filho: - Querido filho, estou triste, pois não vou poder plantar meu jardim este ano. Detesto não poder fazê-lo, porque sua mãe sempre adorou flores e esta é a época certa para o plantio. - Mas estou velho demais para cavar a terra. Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar, pois está na prisão. Com amor, seu pai. Pouco depois, seu pai recebeu o seguinte telegrama: - PELO AMOR DE DEUS, pai, não escave o jardim! Foi lá que eu escondi os corpos. Como as correspondências eram monitoradas na prisão, às quatro da manhã do dia seguinte, uma dúzia de agentes do FBI e policiais apareceram e cavaram o jardim inteiro, sem encontrar qualquer corpo. Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera. Esta foi a resposta do filho ao pai: - Pode plantar seu jardim agora, amado pai. Isso foi o máximo que eu pude fazer no momento. Estratégia é tudo!!! Nada como uma boa estratégia para conseguir coisas que parecem impossíveis. Assim, é importante repensar sobre as pequenas coisas que muitas vezes nós mesmos colocamos como obstáculos em nossas vidas. (Auto desconhecido. Colaboração do aluno João Luiz da Rocha Borin - oitavo ano B) Fonte:http://blogprofzo.blogspot.com/ Esse eu achei muito legal pois isso é a pura verdade muitas vezes nos não sabemos oque fazer porque estamos impossibilitados de fazer isso.

Dois e dois: são quatro

Como dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena embora o pão seja caro e a liberdade pequena. Como teus olhos são claros e a tua pele, morena como é azul o oceano e a lagoa, serena como um tempo de alegria por trás do terror me acena e a noite carrega o dia no seu colo de açucena - sei que dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena mesmo que o pão seja caro e a liberdade pequena. (Ferreira Gullar) Fonte:http://blogprofzo.blogspot.com/

Retorno as aulas

Iniciando as aulas novamente... Mais um ano pela frente mas tomara que esse ano seja muito legal que nem foi ano pasasdo apesar de que houve muita bagunça, mas mesmo assim ainda foi muito legal e tomara que esse ano também seja assim.